Em que cremos

 

- Cremos serem as Sagradas Escrituras (Pentateuco, Profetas, Escritos e Nova Aliança) a Palavra de Elohim (D'us), inspiradas por Ele e de suprema autoridade para guiar nossa fé e conduta (II Tm 3:16; Lc 24:44; At 2:42; II Ts 2:15).

- Cremos no Único Elohim (Dt 6:4; Mc 12:28-29; Jo 17:3; I Co 8:4-6; I Tm 2:5; Tg 2:19; Jo 20:17): ADONAI, O qual é o Ruach HaKodesh (Espírito Santo - II Co 3:17; Jo 4:24).

- Cremos que Yeshua (Jesus) é o Messias e Filho Unigênito de D'us (Mt 16:15-17; Pv 30:4; Sl 2:7,12; Jo 3:16), o qual representa e revela a Sua Pessoa entre os homens (Is 7:14; Sl 118:22-26; Mt 23:39; 11:27).

- Cremos que Yeshua de Nazaré nasceu de uma virgem em Belém , foi elevado por D'us a condição de Senhor e Salvador (Fp 2:5-11; At 5:31), vindo ao mundo como Mashiach Ben Yosef (Messias Filho de José ou Messias Sofredor) para ser o único mediador entre a humanidade e D'us (I Tm 2:5).

- Cremos que Yeshua morreu e ressuscitou (At 2:32; I Co 15:3-8), e salva a todo o que nEle crê (Jo 3:16; Is 53:11-12).

- Cremos que Ele voltará em breve para Jerusalém como Mashiach Ben David (Messias Filho de David, ou Messias Glorioso), de onde reinará e julgará os homens (Zc 14:4; At 1:9-11; Ez 37:24-25; Is 11:3-5).

- Devido à queda de Adão (Gn 3), a humanidade tornou-se corrupta e distanciada de D-us (Rm 3:23; 5:12). A salvação eterna, dom de D-us, tem sido providenciada ao homem somente pela graça (Ef 2:8), através da morte vicária de Yeshua (Jesus), O Messias (Rm 5:10).

- A fé é o único meio pelo qual o crente se apropria da salvação (Ef 2:8-9; Gl 2:16).

- Cremos que D-us concede a imersão em Seu Espírito e os dons espirituais ao Corpo de discípulos do Messias, afim de edificá-lo e dinamizá-lo para a missão de implantar o Reino Divino na Terra (Mt 3:11; At 2:1-13; 10:44-48; 11:15-16; I Co 12; 14).

- Cremos que o Shabat (Sábado) continua válido e deve ser lembrado e guardado também pelos gentios crentes, do mesmo modo como observam os demais mandamentos do decálogo, pois foi santificado e dado à humanidade como dia de descanso desde a criação, antes, até mesmo, de Moisés, Abraão e Noé. Para os filhos de Israel, porém, há um compromisso maior, pois foi dado também como um sinal da aliança (Êxodo 31.12-17). O fato de Yeshua aparecer ressurreto na manhã do primeiro dia da semana não invalida o propósito e significado do Shabat.

- Cremos que as Festas Bíblicas continuam válidas e devem ser celebradas, obrigatoriamente pelos filhos de Israel e voluntariamente pelos gentios crentes, uma vez que elas são sombras de realidades espirituais maiores, algumas já ocorridas e outras ainda por vir.

 

Quando Nasceu a Moréshet Yeshua:

A Moréshet Yeshua nasceu em Jeneiro de 2000 através do Rosh (Líder) José Heleno e Silva (Z"L), o qual foi um pioneiro em Salvador na propagação da restauração das raízes judaicas da fé em Yeshua. Esta restauração proposta não se trata de levar judaísmo não bíblico aos gentios, mas sim, restaurar princípios bíblicos e tradições que eram presentes na Igreja do 1º Século e que foram perdidos com o passar dos anos.

Sabemos que a Santa Congregação (Igreja) do Senhor é formada por pessoas e não por instituições (Ap. 3:1-6), por isso, uma restauração significativa e verdadeira se inicia no indivíduo. Cremos (como diz o rabino Marcelo Guimarães)que indivíduos restaurados pela palavra de Deus geram famílias restauradas que, por sua vez, gerarão igrejas locais restauradas, preparadas para a volta do Messias.

 

Objetivos:

- A Congregação Moréshet Yeshua tem por objetivos apresentar o Messias Yeshua e promover o ensino das Escrituras no contexto judaico, anunciando as Boas Novas do Messias, primeiramente aos judeus e descendentes de judeus, e depois aos gentios (não-judeus), conforme ensinam as Escrituras (Mt 10:6; At 1:8; 13:46-47; 18:4-6; 26:21-22; Rm 1:16).

- Combater o antissemitismo, antijudaísmo e antissionismo, bem como a errônea teologia de que a Igreja Gentílica substituiu Israel nos planos Divinos.

- Corrigir, na medida do possível, erros históricos do cristianismo, não compactuando com os mesmos.

- Incentivar os descendentes de judeus a restaurem suas identidades, crendo no Messias Yeshua e na sua iminente volta.

- Encaramos também como parte integrante do nosso chamado auxiliar a parte gentílica da Congregação (Igreja) extensiva do Messias na restauração das raízes bíblico-judaicas de sua fé.

- A Congregação Moréshet Yeshua tem também entre seus objetivos, para um futuro próximo, promover atividades de assistência social e cultural para pessoas mais carentes.

 

Ambiência Congregacional:

Procuramos fomentar uma ambiência na qual - assim como ocorria na Igreja do 1º século - os judeus poderão desenvolver sua fé no Messias, sem serem forçados a viverem como gentios, o que constituiria um erro assim como o de judaizar um não-judeu. Entendemos que o povo judeu é igual aos gentios quanto à salvação, mas como povo continua sendo o escolhido por D-us para ser uma Nação Sacerdotal em relação aos demais povos (At 21:20; Rm 9:4-5), tendo a responsabilidade de observar a Torá e as instruções do Messias (Dt 7:6-8; Jr 31:35-37; Rm 11:1).

Os descendentes de judeus encontram em nossa congregação ambiência e apoio para restaurarem sua identidade e fé, centrados no Messias. Vale à pena ressaltar que o Brasil possui milhares de descendentes de judeus portugueses e espanhóis que foram forçados à conversão católica durante a Inquisição. Tais judeus passaram a ocultar ou ignorar sua judaicidade afim de manterem-se vivos. Seus descendentes são conhecidos como "benê anussim" (filhos dos forçados), "marranos" ou ainda "cristãos novos". A Região Nordeste destaca-se como um dos maiores redutos de benê anussim do país.

Em nosso meio, os gentios (não-judeus) são ensinados a cumprirem seu importante papel no Reino de D'us, vivendo sob os princípios da Torá e demais instruções bíblicas à eles aplicadas. Aqui, também aprendem a amar o povo judeu e interceder por sua salvação.

Promovemos o estudo semanal das Parashôt e Haftarôt (Porções da Torá e dos Profetas) sob o prisma do Messias, numa análise bíblica profunda, espiritual e esclarecedora. Exploramos as Escrituras no contexto judaico, através do qual buscamos maior compreensão da mensagem Divina, visto que, foi nesse contexto que elas foram escritas.

Conforme as Escrituras, judeus e não judeus constituem a família de D’us no Messias (Ef 2:19): os gentios crentes são enxertados na “oliveira”, Israel, e os judeus crentes no Messias são reenxertados em sua própria raiz (Rm 11) formando assim o Corpo do Messias (Congregação/Igreja). Assim, judeus e não judeus participam da “seiva”, bênçãos e promessas ‒ da mesma “oliveira”. O movimento judaico-messiânico autêntico tem o dever de aproximar a Igreja gentílica ao povo de Israel.

O gentio crente no Messias não é obrigado a cumprir tradições ou leis bíblicas específicas ao povo judeu; devendo, se queser, preservar sua identidade.

 

Esclarecimentos:

- A Congregação Moréshet Yeshua e as instituições que lhe dão o devido reconhecimento e legalidade não defendem, em hipótese alguma, a anulação ou destruição do cristianismo como instituição. Defendemos sim uma restauração dos aspectos que se desviaram das Sagradas Escrituras e do ensino apostólico, visando assim um retorno ao seu contexto histórico original, de acordo com a doutrina ensinada pelos Apóstolos (Rm 11:17-18).

- Defendemos a ideia de que não se deve impor obrigações desnecessárias (frutos de tradições) aos não-judeus que foram salvos pela fé em Yeshua (Jesus), conforme orientações dos primeiros Apóstolos do Messias (Atos 15).

- Não somos proselitistas, proselitismo é persuadir alguém a mudar ou aderir a uma religião.  Entendemos que um judeu pode reconhecer Yeshua como Messias e continuar vivendo como judeu sem ter que aderir a alguma instituição cristã. Do mesmo modo um gentio não precisa tornar-se um judeu para receber a salvação proporcionada pelo Messias.

- Não colocamos o judeu em posição superior em relação aos gentios, afinal, Adonai não faz acepção de pessoas; apenas reconhecemos que suas obrigações são maiores devido ao chamado irrevogável.

- Não nos julgamos melhores do que ninguém, sabemos que Adonai não está limitado a nenhuma instituição ou ministério; Ele revela Seus segredos a quem o busca com intensidade, seja ele judeu ou gentio.

 

Recomendações:

Como acontece em qualquer movimento, comunidade ou ministério, dentro do Corpo de Cristo, não é nenhuma novidade a existência de pessoas que se apresentam dizendo ser algo que, na verdade, não é; por isso, recomendamos veementemente a checagem da idoneidade daqueles que se apresentam como judeus messiânicos. As filiações que lhes dão o devido reconhecimento e legalidade, bem como seu embasamento doutrinário nas Escrituras devem ser explícitos.

Devido a grande quantidade de críticas preconceituosas que, em geral, se faz ao Judaísmo Messiânico sentimo-nos na obrigação de recomendar ao leitor que, antes de tecer críticas a qualquer coisa que, a primeira vista, pareça errada, procure primeiro entender mais profundamente aquilo que vai criticar. Tudo na vida cabe análise antes da crítica.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!